Home Destaques SP flexibiliza quarentena na região de Barretos antes de data prevista

SP flexibiliza quarentena na região de Barretos antes de data prevista

536
0

O governo de São Paulo flexibilizou as regras da quarentena na região de Barretos, no interior do estado, neste sábado (24). O avanço da região, que estava na fase laranja da quarentena e foi para a fase amarela do Plano São Paulo, foi publicado no Diário Oficial do estado, mas não foi anunciado em coletiva de imprensa, como ocorreu com as outras mudanças de fase no estado.

A mudança ocorreu antes da data prevista: segundo o próprio governo estadual, a próxima reclassificação do plano deveria ocorrer apenas no dia 16 de novembro, exceto em caso de piora dos indicadores de saúde. A reclassificação extraordinária seria permitida antes da data apenas para o endurecimento da quarentena.

O Plano São Paulo, que regulamenta a quarentena em todo o estado, classifica as regiões do estado em cores, determinando quais locais podem avançar nas medidas de reabertura da economia. Iniciado em 1º de junho, ele divide o território do estado de acordo com as 17 Divisões Regionais de Saúde (DRS).

A mudança antes do previsto ocorreu apenas para Barretos. A região de Araçatuba, que está na fase amarela, tem apresentado nos últimos dias indicadores de saúde compatíveis com a fase laranja, mas a quarentena não foi endurecida na região. Além disso, as regiões de Marília e Registro têm indicadores compatíveis com a fase verde, mas também não houve mudança nesses locais.

Com o avanço da região de Barretos, todas as regiões do estado se encontram agora nas fases verde e amarela do plano, e permitem o funcionamento de bares e restaurantes com serviço no local, por exemplo, além de abertura de comércios em horário estendido.

Saiba mais sobre a fase verde da quarentena em SP
Questionada nesta segunda-feira (26) sobre a mudança de Barretos, a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, disse que, em 9 de outubro, quando a região foi para a fase laranja, o Centro de Contingência do governo estadual criou “uma recomendação” para revisar a classificação da região em duas semanas.

“Na última classificação do Plano São Paulo, Barretos teve uma regressão de fase: passou da fase amarela para a fase laranja. A recomendação do centro de contingência naquela data, através de ata de reunião, era que revisitássemos essa regressão da região em duas semanas. Se durante essas duas semanas os indicadores apontassem estabilidade na fase amarela. a região poderia retornar, e foi isso que foi realizado. Por isso que não foi realizada uma reclassificação do Plano São Paulo”, disse Patrícia Ellen.
A secretária também defendeu que a reclassificação oficial se mantém marcada para o dia 16 de novembro.

“A classificação completa continua agendada para o dia 16 de novembro. Para evolução, a classificação é no próxima dia 16 de novembro”, completou.

Reclassificação do Plano São Paulo
Desde sua implementação, o Plano São Paulo já sofreu diversas alterações em seus critérios e, por conta disso, foi alvo de crítica de especialistas. No dia 9 de outubro, quando ocorreu a última reclassificação, diversas regiões avançaram para a fase verde graças a outra mudança nas regras.

Na ocasião, as regiões da Grande São Paulo, Taubaté, Campinas, Piracicaba, Sorocaba e Baixada Santista avançaram à fase verde. No entanto, se fossem considerados os critérios do Plano São Paulo que valiam até a semana anterior, dessas 6 regiões apenas Sorocaba teria os indicadores de saúde necessários para avançar. Piracicaba, Campinas, Taubaté, Baixada Santista e a Grande SP ficariam na fase amarela.
A principal alteração feita foi no período de análise dos dados da pandemia. Números de novas internações, mortes e casos de Covid-19 dos últimos 28 dias são comparados com os 28 dias anteriores. Antes, a comparação envolvia dados dos últimos 7 dias e dos 7 dias anteriores.

Em nota conjunta, as secretaria da Saúde e do Desenvolvimento Social afirmam que, para o Centro de Contingência contra o Coronavírus do governo de SP, a “eficiência no enfrentamento à doença está diretamente ligada à sua adaptação a estas mudanças”. Especialistas criticam e dizem que elas podem provocar um “atraso de resposta” das autoridades(leia mais abaixo).

Outra mudança feita no dia 9 de outubro foi a unificação da Grande São Paulo: pelas regras que valiam até a semana anterior, a Grande São Paulo era dividida entre a capital e as sub-regiões Leste, Norte, Oeste, Sudeste e Sudoeste.

Antes, cada área poderia estar em uma fase. Agora, todas devem estar no mesmo estágio. Assim, a capital pôde avançar com ajuda dos índices obtidos no restante da Grande São Paulo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here